CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

quinta-feira, 27 de março de 2008

“FOGO INIMIGO”


Na sessão da Câmara Municipal de Tarauacá realizada no dia 26 de março de 2008, as 09:30 da manha, um vereador (ex-aliado do Prefeito Vando Torquato), subiu à tribuna da casa e contou a seguinte história:
“Um certo dia nós (um grupo de vereadores e o prefeito) estávamos reunidos no prédio onde funcionava a TV Tarauacá (há mais de seis meses fora do ar por falta de pagamento da conta de luz). Conversávamos sobre muitas coisas, porém um assunto chamou muito minha atenção e me deixou estarrecido.
O prefeito, preocupado e revoltado com as críticas levadas ao ar pelo apresentador do programa Terminal Comunitário através da Rádio Comunitária Nova Era Fm, apresentou a seguinte proposta: ‘VAMOS TOCAR FOGO NA RÁDIO. A GENTE CONTRATA ALGUMA PESSOAS DE CONFIANÇA E MANDA FAZER O SERVIÇO’.
Ficamos surpresos com tal atitude e imediatamente discordamos. Ninguém topou nem discutir o assunto. Isso demonstra como esse rapaz pode ser perigoso. Não estou aqui contando fofoca, só estou reproduzindo o que eu ouvi da boca do prefeito”
O prefeito não mandou tocar fogo na emissora, porém, mandou sua equipe elaborar e distribuir um panfleto que atacava a vida pessoal do apresentador, sua família e seus amigos, numa tentativa de desmoralizá-lo.
O panfleto “anônimo” que foi distribuído de madrugada por assessores do prefeito em uma moto biz, continha um conteúdo agressivo, raivoso, em relação ao apresentador, mas, ao mesmo tempo elogiava e defendia o prefeito.
A população ficou transtornada com tamanha agressão. Centena de manifestações entre cartas, telefonemas, visitas, notas de instituições, repudiaram atitude do prefeito e manifestaram apoio ao apresentador do programa.
A Rádio continua no ar. O Programa Terminal Comunitário é líder em audiência.
O PREFEITO: eu sou suspeito pra falar sobre ele.

O VEREADOR: Francisco Feitosa Batista (quarto mandato consecutivo)
PARTIDO: PDT

APRESENTADOR: Raimundo Nonato Accioly
PROFISSÃO: Professor
ATIVIDADES: Militante do Movimento Social e Locutor.

terça-feira, 25 de março de 2008

O amor "desativa" a capacidade de criticar a pessoa amada

As últimas investigações sobre o funcionamento do cérebro revelaram que as pessoas apaixonadas perdem a capacidade de criticar seus parceiros, ou seja, se tornam incapazes de ver seus defeitos, o que vem confirmar o ditado popular que diz que "o amor é cego". Pelo menos isto é o que ocorre nos casos de amor romântico ou maternal, nos quais se detectou que, diante de determinados sentimentos, as mesmas regiões do cérebro são ativadas, segundo explica à Agência Efe a neurobióloga Mara Dierssen, pesquisadora do Centro de Regulação Genômica de Barcelona.O mais curioso do caso, no entanto, é que, paralelamente a esta estimulação que se produz nas mesmas regiões cerebrais, em ambos os tipos de amor também se "desativa" a zona do cérebro encarregada do julgamento social e da avaliação das pessoas. Suprime-se, portanto, a capacidade de criticar os seres queridos."Quando nos apaixonamos perdemos a capacidade de criticar nosso parceiro, por isso se pode dizer que, de certa maneira, o amor é cego", afirma Dierssen, que recentemente participou em Barcelona de um ciclo sobre "Amor, ciência e sexo".Os estudos que há vários anos são realizados em humanos e ratos para conhecer o complexo funcionamento do cérebro estão apresentando dados tão inovadores como surpreendentes no sempre estimulante terreno do amor.Esses avanços estão ajudando, por exemplo, a responder a perguntas tão básicas, quanto também enigmáticas e sugestivas, como o que acontece em nosso interior quando nos apaixonamos, o que acontece no cérebro ou por que sentimos - ou não - desejo sexual.O amor é definido por alguns dicionários como "um sentimento intenso do ser humano que, partindo de sua própria insuficiência, necessita e procura o encontro e a união com outro ser".Para Mara Dierssen, no entanto, o amor é algo mais simples: "Uma dependência química entre duas pessoas".Diz esta investigadora que quando existe amor de verdade ocorre, em maior ou em menor medida, uma série de circunstâncias comuns, como a atração física, o apetite sexual ou o afeto e o apego durável.Estes sentimentos desencadeiam em nosso interior um conjunto de alterações químicas que geram substâncias como a dopamina, responsável pela sensação de atração, ou a serotonina, relacionada aos pensamentos obsessivos.A análise destes aspectos, assim como da atividade cerebral, também permitiu constatar que o cérebro de homens e mulheres funciona de maneira diferente ao que se refere ao amor e que questões como os diferentes níveis de apetite sexual têm uma explicação científica."Descobriu-se que existem diferenças entre gêneros, de modo que o homem é mais sexual, tem um apetite sexual mais constante, enquanto a mulher é mais sensitiva", explica Dierssen.Inclusive a infidelidade afeta de maneira diferente uma e outra espécie.Sabe-se, por exemplo, que só 3% dos mamíferos são monogâmicos, como os ratos da pradaria, as orcas ou o homem, enquanto a grande maioria é polígama.No entanto, adverte Dierssen, um experimento realizado em ratos de montanha, caracterizados por sua grande promiscuidade, permitiu comprovar que a monogamia animal é genética e que uma simples manipulação dos genes destes animais pode fazer com que os machos sejam fiéis a sua parceira.O experimento, por enquanto, não foi realizado em pessoas, embora tenha despertado grande interesse pelo alcance que pode atingir nas relações humanas. EFE

segunda-feira, 24 de março de 2008

Batista e Jasone selam pacto por Tarauacá

O ex-vereador Chagas Batista e o ex-prefeito Jasone Silva (PT) selaram um pacto pela unidade da Frente Popular do Acre (FPA) nas eleições municipais deste ano. Tanto o comunista quanto o petista são pré-candidatos a prefeito de Tarauacá, mas afirmam que não vão disputar entre si pela indicação de quem será o cabeça da chapa que concorrerá à sucessão de Vando Torquato (PP).“Nunca definimos nome de candidato a prefeito ou a vice. Estamos conversando para mantermos a nossa unidade”, declarou Jasone Silva. Segundo Silva, as conversas que vêm sendo mantidas entre ele e Chagas Batista visa montar um programa que tenha afinidades com a FPA em nível estadual e com o governo federal.
O ex-prefeito argumentou que há muitas conversas envolvendo o seu nome e do ex-vereador comunista porque os adversários da FPA têm interesse em desestabilizar a coligação.Os argumentos do petista encontram eco nas palavras do comunista, que resumiu: “Nossos adversários estão mais interessados em definir a nossa chapa do que a gente. No momento certo faremos o anúncio. Por enquanto, vamos conversar bastante”.Batista e Silva lembraram que participam de partidos que têm vida orgânica constantes, com organização, estrutura e base. “Existem partidos que abrem os seus diretórios apenas no período da eleição. O nosso não é assim”, comentaram.Ao selarem o pacto, comunistas e petistas poderão retomar uma aliança quebrada após as eleições de 1996, quando Jasone Silva foi eleito prefeito, tendo como companheiro de chapa o hoje deputado estadual Moisés Diniz (PC do B).Com o rompimento dos partidos, Silva foi reeleito em 2000. Ao seu lado como vice-prefeito estava o atual ocupante do cargo Vando Torquato (PP).Em 2004, os partidos novamente entraram nas eleições separados. O PT não lançou candidato à sucessão de Jasone Silva. Preferiu apoiar o ex-deputado estadual Chico Sombra. O PC do B concorreu com Chagas Batista, que ficou em segundo lugar.Sem ganância pelo poderChagas Batista afirmou que ele e Jasone Silva têm em comum o fato de não terem ganância pelo poder. Segundo o comunista, ambos só concorreram a cargos públicos porque foram convidados pelos seus partidos. “Fui vereador por três oportunidades para cumprir uma missão delegada pelo o meu partido. Com Jasone foi a mesma coisa”, disse.O ex-vereador advogou que o candidato a prefeito da FPA em Tarauacá deve sair sem imposição, mas por meio de muito diálogo entre os partidos da coligação e sem arrogância.“Temos tudo para fazermos um trabalho pelo município melhor do que está fazendo a atual administração”.Sobre as divergências registradas entre comunistas e petistas na primeira gestão de Jasone Silva como prefeito (1997/2000), Batista declarou que não há interesse em debater o passado como forma negativa, mas como exemplo a não ser seguido no futuro.“O que aconteceu foi falta de maturidade. Todos nós aprendemos com os nossos erros. E não vamos mais errar”.Jasone Silva destacou que a unidade da FPA é algo que todos os partidos querem porque a atual administração de Tarauacá não tem projeto que contemple aos anseios da população.Silva admitiu que a unidade não será fácil de ser conquistada porque, segundo ele, sempre vai ter alguém querendo puxar o debate para um campo que lhe interesse, mas há tempo suficiente para conseguir encontrar o caminho ideal por meio do diálogo.“O mais importante é que não queremos o poder pelo poder. Queremos, sim, melhorar o nosso município. Não vou impor meu nome para nada. Temos também três vereadores, que podem pôr os seus nomes na mesa”.

sábado, 22 de março de 2008

GRITO ROCK TARAUACÁ - O Grito dos que não tem voz!



GRITO ROCK TARAUACÁ

A CHEGADA

Primeiro chegaram os garotos da cidade de Envira/Am. Viajaram durante dois dias até a cidade de Feijó num batelão coberto de palha. Na bagagem, guitarras, baixo, cabos, muita bolacha e um cd demo com suas composições. Os Jovens Deltas (nome da banda) dormiram em Feijó e chegaram cheios de alegria.
Em seguida uma pequena van com 14 pessoas chega de Cruzeiro do Sul com as bandas Virtuose e Orverdrive. Uns caras cabeludos, vestidos em camisetas pretas anunciam que a noite de sábado vai tremer com muito rock pesado.
Capuccino Jack veio da capital. Evidentemente que nessa época só se chega de avião. Quatro jovens sérios um tanto quanto desconfiados, mas, pudera é a primeira vez que eles deixavam a capital rumo ao interior. O primeiro que apareceu falava no celular exatamente com sua mamãe dizendo que havia chegado bem.
Aqui duas bandas já os esperavam com muita expectativa. Tk 7dois1 e Nativofobia.
Alojamos todos no hotel (pró-link) e a tarde os convidamos todos pra uma reunião para trocarmos umas idéias sobre o evento e sobre o movimento que acontece em vários estados do país e especialmente na capital do Acre. O cenário da musica independente agora se expandia para a outra metade do nosso estado.
Cada banda contou um pouco do seu trabalho e de seus sonhos e objetivos. Foi legal.

O SHOW

JOVENS DELTAS abriram o evento com uma apresentação interessante. Boa presença de palco interagindo com o publico e o mais importante tocando suas próprias composições. O publico respondeu e o show dos meninos de Envira foi legal.

OVERDRIVE se apresentou em seguida. Nós já a conhecíamos do show de aniversário da Nova Era Fm em outubro de 2007. Muito rock pesado e os cabeludos de Cruzeiro do Sul mandaram bem.

VIRTUOSE também Cruzeiro do Sul começaram o seu show mandando um som do legião, tocaram som do metálica e duas músicas autorais.

NATIVOFOBIA tocou apenas três músicas (autorais), mas, foi o bastante para o público e todos nós relembrarmos o início de tudo em Tarauacá. Rogério Craveiro na guitarra e no vocal, Shula no Baixo e David na batera. Estava batizada a mais nova banda de Rock de Tk.

TK7dois1 começa seu show com Janaína no vocal. A única mulher (menina) entre os 26 roqueiros do evento. A banda apresentou músicas do seu cd e duas músicas novas. O publico foi junto e cantou com a banda. Giovanni convidou as bandas e o público para curtir um som do I. M. foi uma loucura. Fecharam com Ser ou Não Ser.

CAPPUCCINO JACK com composições bem elaboradas encerraram o evento. A banda da capital, atração principal da noite se disse muito feliz em participar do evento.

Estava encerrado o PRIMEIRO GRITO ROCK TARAUACÁ.

E nós voltamos pra casa com a certeza da missão cumprida. Numa região onde impera o forró, o brega, o dance e outros modismos o Rock pediu passagem e fincou sua bandeira em Tarauacá.

Retratos de Tk


Cidade hospitaleira
Gente guerreira
Homens de bem
Seres covardes
Políticos confusos
Planos obscuros
Fronteira perigosa
Entre paixão e traição

Jovens na esquina
Noite pequena
Taxista no banco
Dos senhores juros
Gente do frete
Que vida sofrida
Trocado sagrado
Alimenta os “pequenos”
Carros do ano
“Neném” da cargueira
“Pura-bucha” do Léo
Verdura na feira
Sol na “muleira” do produtor
Molho de pimenta
Galinha caipira
Conversa afinada
Domingo é “nada”

Praia lotada
Barzinho do “zezão”
Peixeira na mão
Sangue no chão
Caixas amplificadas
Som que vem da Cohab
Que Nova Era bacana
Famílias na penal
Sexo na cela
Vou é pra boate dançar
Não pago pra ingressar
Agentes de proteção
Aqui está o meu crachá
Boys burros
Brigam por nada
Mas cedo, “O rachão”,
Oh! não!
É a primeira divisão
No velho Naborzão

Igrejas lotadas
A fé ofusca a razão
É ópio...
Dos pobres em ação
Quero ser vereador
Comprem-me, por favor,
Dê-me um carrão
Pra encher de votos
Em dias de decisão
Vou até depositar
Meu “lixo de ilusão”
Num cesto simples
Daqueles bem caros
Isso não é corrupção
CPI pra quê?
Pra eu me vender?

Vou comprar um celular
Pra eu “bossar”
Tirar retratos de Tk
Ligar a cobrar
Na loja tem promoção
Leve um, pague três
Você é bom freguês
Nada é complicado
Tudo é parcelado

Oh! Seu moço
Do disco voador
Me leve com você
Aonde você for
Sinceramente, não sei.
Se vou chorar
Se vou sorrir
Se vou ficar
Se vou partir
..............................

Accioly