CONTATO: gomesaccioly@gmail.com - 68 99775176

domingo, 31 de agosto de 2008

OS NOVOS NÚMEROS DO ACRE (BLOG DO EDVALDO)


O IBGE fez publicar, neste 29 de agosto, no Diário Oficial da União, as estimativas de população para os municípios brasileiros com data de referência em 1° de julho de 2008.

A partir da data da publicação, os interessados têm 20 dias para interpor a reclamação junto ao IBGE, que, após examiná-las, tem que enviar até o dia 31 de outubro do corrente ano as estimativas definitivas ao Tribunal de Contas da União.
Acrelândia........11.987
Assis Brasil......5.559
Brasiléia.........19.829
Bujari............6.745
Capixaba..........8.897
Cruzeiro do Sul.....76.392
Epitaciolândia......13.960
Feijó...............32.210
Jordão..............6.333
Mâncio Lima.........14.387
Manoel Urbano.......7.405
Marechal Thaumaturgo.....13.728
Plácido de Castro.......17.921
Porto Acre...........14.309
Porto Walter.........8.562
Rio Branco...........301.398
Rodrigues Alves.......13.020
Santa Rosa do Purus.....4.165
Sena Madureira.........35.544
Senador Guiomard........19.506
Tarauacá...............33.368
Xapuri.................14.848


O Acre tem sua população estimada em 680.073 habitantes.

Como se pode observar Rio Branco fica com a maior fatia de população: 301.398 habitantes, ou seja - 44,31%.

A nova estimativa aponta para um leve crescimento da população dos municípios no interior do estado em relação à capital, o que é bom.

Cruzeiro do Sul continua sendo o segundo maior município com 76.392 habitantes. Distante do terceiro colocado, Sena Madureira com 35.544 habitantes.

Tarauacá e Feijó se aproximam de Sena Madureira que poderá perder, em breve, a condição de terceira cidade do estado.

Brasiléia está apenas com 326 habitantes a mais que Senador Guiomard.

Mâncio Lima ultrapassou Porto Acre em apenas 78 habitantes.

Marechal Thaumaturgo, um dos novos municípios demonstra vigor em seu crescimento e se aproxima de Xapuri.

Jordão, um dos municípios mais isolados, aproxima-se em número de habitantes de Bujari, aqui na biqueira de Rio Branco.

É bom estar atento aos números, eles são decisivos na geopolítica acreana quando o assunto é eleição e o olhar já se espicha para 2010.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

PROFESSORA TARAUACAENSE MORRE EM ACIDENTE NA BR 364

Blog do Ivo - 28/08/2008
Um acidente automobilístico ocorrido por volta das 2 horas da tarde de quinta feira, 28, na BR 364 na altura do km 87, sentido Rio Branco/Sena Madureira, proximidades da Ponte sobre o Rio Antimari ceifou a vida da professora Luzivania Fontinele Marinho Freitas, 23, e deixou outros passageiros feridos.
Luzivania ainda foi socorrida por uma ambulância do município do Bujari, mas morreu a caminho do hospital. A família estava indo para Rio Branco para comemorar o aniversário de 15 anos de uma sobrinha da vítima.

O automóvel, Fiat Siena, placas MZY 6948 que saiu do município de Tarauacá na manhã desta quinta feira era dirigido pelo policial militar Ivaldo Cunha Rocha. Em depoimento ao Jornal Ecos da Notóícia, Ivaldo declara que perdeu o controle do carro que saiu da pista e capotou diversas vezes.
O marido da vítima fatal, Fandermiller Freitas, a sogra, a cunhada e o sobrinho menor sofreram ferimentos leves. Ivaldo foi o único que não sofreu ferimentos.
Ivaldo disse que encontrou Luzivania caída a cerca de cinco metros do carro. A jovem foi levada para um comércio as margens do Rio enquanto Ivaldo conseguiu uma carona e foi a uma fazenda próxima pedir socorro ao Samu. Quando o médico do Samu entrou na ambulância constatou que Luzivania não resistira aos ferimentos e morreu a caminho de Rio Branco.
Após as vítimas serem socorridas no hospital de Bujari foram levadas ao pronto socorro de Rio Branco para receber procedimentos mais especializados. De acordo com as últimas informações ninguém mais corre risco de morte.
Luzivânia era professora formada em Matemática, trabalhou na secretaria municipal de educação como coordenadora pedagógica e ultimamente exercia função pedagógica no núcleo de ducação do estado.
O corpo da professora será transladado para o município de Tarauacá nesta sexta feira, 29, e será velado na Igreja Batista.
Ivo Roberto

Família de Tarauacá sofre acidente trágico na BR 364






Qui, 28 ago 2008

Khaled Cavalcante
Fotos: Bruno Garcia
Fonte: Jornal Ecos da Notícia

Mais uma tragédia foi registrada na BR 364, uma pessoa morre e quatro ficam feridas em acidente de trânsito na altura do km 87, sentido Rio Branco/Sena Madureira, proximidades da Ponte sobre o Rio Antimari.
A família viajava na BR 364 vinda do município de Tarauacá com destino a capital Rio Branco para participar do aniversário de um parente.
A carona
O funcionário público Vander Miller da Cunha Freitas, 33 pediu uma carona ao amigo policial militar, Ivaldo da Rocha Oliveira, 38, que estava em Tarauacá a passeio e retornaria na manhã desta quinta-feira, 28.
O militar que também é natural daquela cidade aceitou dar carona para a família do amigo que são todos evangélicos.
No veículo Fiat Siena, placas MZY 6948, viajava além do motorista e Vander Miller Freitas, a mulher dele Luzivania Fontinele Marinho Freitas, 23, a senhora Francisca das Chagas Cunha Freitas, 58 (mãe de Vander Miller), Léia Cunha Freitas, 38 (irmã de Vander Miller) e uma criança de cinco anos de idade.

O capotamento
Segundo informações de Ivaldo Rocha, a viagem transcorria normal. Eles saíram de Tarauacá nas primeiras horas da manhã, pararam para almoçar em Sena Madureira e continuavam o percurso em direção a Rio Branco quando no km87 da BR 364, cerca de 200 metros antes da Ponte sobre o Rio Antimari ele perdeu o controle do carro que saiu da pista e capotou diversas vezes.
Quando o veículo parou de capotar, Ivaldo e Vander Miller saíram do carro e perceberam que Luzivania Fontenele não estava dentro do veículo.

Ivaldo disse que encontrou Luzivania caída a cerca de cinco metros do carro. O motorista Ivaldo foi o único que não sofreu ferimentos os demais ficaram com escoriações e lesões pelo corpo.

A jovem foi levada para um comércio as margens do Rio enquanto Ivaldo conseguiu uma carona e foi a uma fazenda próxima pedir socorro ao Samu.
A morte a caminho do Pronto Socorro
Uma ambulância do município do Bujari chegou primeiro ao local e socorreu a vítima mais grave que no caso era Luzivania.
Outra viatura do Samu seguiu viagem para socorrer os demais feridos.
Nas proximidades do trevo do Aeroporto Internacional a viatura 01 de Suporte avançado do Samu interceptou a ambulância que trazia a vítima mais grave.
Quando o médico do Samu entrou na ambulância constatou que Luzivania não resistiru aos ferimentos e morreu a caminho de Rio Branco.

Pesquisa revela que maioria dos homens não beija durante o sexo


Qui, 28 ago 2008

Ele acelera o ritmo cardíaco, aumenta a temperatura da pele, queima em média 12 calorias, ativa 29 músculos e, quando muito intenso, estimula a produção de endorfina, a famosa substância química que dá a sensação de bem-estar. Essas são algumas das reações que o beijo produz no indivíduo, mas uma pesquisa feita no ambulatório de Sexualidade Humana da Clínica Delphos apontou que 70% dos 154 homens avaliados não beijam na boca durante o sexo.

O responsável pela análise é o sexólogo Amaury Mendes, que discutirá o tema na XVI Jornada Científica Delphos, no dia 6 de setembro, no Humaitá, Zona Sul do Rio. Mendes fez a pesquisa qualitativa com os pacientes de um ambulatório no Instituto Delphos, onde atende de graça a pessoas de baixa-renda, que ganham até três salário mínimos. As entrevistas foram feitas com os homens, a maioria na faixa dos 40 aos 60 anos, e com problemas sexuais como disfunção erétil, ejaculação precoce e falta de desejo.

"A conduta sexual humana deveria respeitar a seguinte ordem: desejo, excitação e, por último, orgasmo. Mas, com a supervalorização do orgasmo, a maioria pula a fase do desejo e vai direto pra a excitação. E aí não tem beijo, abraço, nem carinho. Só que eles se esquecem que o beijo é um fator essencial para se atingir o orgasmo", diz o sexólogo.

Mendes ressalta que, apesar de o estudo ter sido feito com uma parcela da população com menor poder aquisitivo, esse problema também atinge as classes média e alta: "É fato que, quanto maior a renda e o grau de instrução, melhor o desdobramento desse assunto. Porém, o que está em jogo hoje é a questão da falta de tempo e a necessidade emergencial do orgasmo e isso atinge toda e qualquer classe".

A falta de tempo é inimiga do orgasmo

O sexólogo explica que o estresse do dia-a-dia, as dificuldades financeiras e a correria do mundo moderno são fatores que impedem o homem de se dedicar à afetividade, às preliminares e, desta forma, o sexo se torna imediatista. A conseqüência é o afastamento dos casais. Segundo Mendes, o beijo é a base para a busca do prazer no sexo.

"O beijo está ligado aos nossos cinco sentidos - tato, olfato, visão, audição e paladar -, você olha nos olhos, vê a verdade no outro, cria um vínculo."

Prostitutas não beijam

O sexólogo explica que, um bom exemplo de que o beijo representa um compromisso sério é: jamais ser incluído nos programas de prostitutas. Há cerca de um ano ele e sua equipe entrevistaram 28 garotas de programa na Avenida Atlântica, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, e constataram o que já é lugar comum:

"Todas disseram que já aceitaram propostas bizarras, mas não aceitam dar beijo na boca. Muitas delas têm namorado ou tem filho e disseram que, nem pagando, dariam o beijo."

Uma questão biológica

De acordo com Mendes, tanto a mucosa labial quanto a genital são enervadas pela medula. A primeira está mais próxima do cérebro e, por isso, recebe os estímulos sexuais de uma maneira mais eficaz. Ambas possuem o mesmo numero de terminações nervosas e, portanto, o mesmo potencial erótico.

"Nós fazemos um trabalho, com as pessoas que buscam a terapia sexual, para tentar um recomeço do namoro entre o casal. Claro que usamos medicamentos em alguns casos, mas idéia é que o remédio seja eliminado. Propomos exercícios específicos de sensualidade, procurando desvincular sexo de afeição e estimulando carinho, beijos e, conseqüentemente, a aproximação do casal."

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Rock'in rol na ExpoAcreJuruá - Banda TK 7dois1 toca na sexta, dia 29.08



Depois do sucesso do ano passado no palco da ExpoAcreJuruá, a Banda de Rock TK7dois1 foi convidada mais uma vez para tocar na exposição representando o município de Tarauacá. A banda se apresentam no dia 29, sexta feira, no palco principal do evento.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

CORRIDA PEDESTRE DE SÃO JOSÉ EM TARAUACÁ FOI UM SUCESSO

Circuito Chico Mendes de Corrida de Rua promovido pelo Governo do Acre e suas parcerias incluiu a etapa São José em Tarauacá.





















Mínimo pode ser arredondado para R$ 460


O salário mínimo que entrará em vigor a partir de fevereiro de 2009 pode ser arredondado para R$ 460. Mas, isso só deve acontecer caso sobre recursos do orçamento, previsto para ser aprovado no próximo ano. A novidade ainda será discutida por 32 parlamentares após as eleições.

A Comissão de Orçamento espera que a proposta seja aprovada na primeira semana do mês de dezembro e ratificada no Congresso Nacional, na terceira semana.

O reajuste do mínimo, se confirmada a expectativa de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), antecipa a nova regra de atualização do piso nacional.

Pela regra, fica assegurado ganho equivalente à variação real do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes, ou seja, de 2007. Isso significa um aumento real em relação ao critério vigente de reajuste pelo PIB per capita.

Na última sexta, 15, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou o reajuste de R$ 453,67, definido na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

De acordo com a experiência passada, quando a estimativa era de um mínimo de R$ 412,40 para 2008 e ele foi arredondado para R$ 415 (piso atual), existe a possibilidade de que este ano ele também seja majorado. (Ana Paula Batalha)

Ficou mais fácil trocar de operadora


Agora é lei - Continue com seu número de fixo e celular, mesmo mudando de operadora
Começa em uma semana a implementação da portabilidade numérica, regra que permite ao usuário de telefone fixo e móvel trocar de operadora mantendo o número do telefone. O novo sistema será implantado em etapas, conforme o código de longa distância (DDD) de cada localidade, e estará disponível a todos os brasileiros até março de 2009, segundo cronograma definido há um ano pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Como vai funcionar

Na telefonia fixa, a portabilidade só será possível dentro da mesma cidade. No caso do celular, a manutenção do número pode ocorrer na área de mesmo código (DDD). Para alterar a prestadora do serviço sem mudar a linha, o usuário deverá solicitar a o serviço à operadora para a qual pretende migrar.

A prestadora que receber o novo cliente pode cobrar pelo serviço. Mas a empresa que perder o consumidor e o número que ele continuará portando não participará da negociação e nem receberá uma indenização pela perda do assinante, segundo definido pela Anatel.

Pela nova regra, ao trocar de operadora, o cliente não precisará sequer pedir a rescisão contratual. O usuário fica livre, ainda, para solicitar a mudança de operadora quantas vezes quiser, mas nunca ao mesmo tempo.

Segundo a Anatel, a nova empresa deverá cuidar do trâmite de migração para o cliente, mas a transferência do serviço e o funcionamento das redes devem ser assegurados por todas as empresas.

Foi alegando falhas nos testes de funcionamento da rede realizados até hoje, aliás, que um grupo de sete operadoras - Telefônica, Oi, Brasil Telecom, Vivo, TIM, Sercomtel e CTBC - encaminhou à Anatel, na semana passada, carta solicitando o adiamento da portabilidade para janeiro de 2009. A Agência rejeitou o pedido e acompanhará a resolução dos problemas apresentados nos testes das operadoras. A idéia é checar, inclusive, a veracidade dos resultados divulgados.

Estimular competição

Ao autorizar a portabilidade do número do telefone, a intenção do governo é aumentar a concorrência entre as empresas de telefonia.

Sem essa possibilidade, muitas pessoas, sobretudo as que usam o telefone por necessidade profissional, preferem manter o número por causa de seus contatos com clientes, mesmo descontentes com as operadoras. As informações são do Jornal da Tarde

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Festival Varadouro 2008


Previsto para setembro, evento pretende reunir mais de 20 bandas no Arena da Floresta

O movimento musical do Acre já se movimenta para o Festival Varadouro 2008, previsto para ser realizado nos dias 26 e 27 de setembro, no estádio Arena da Floresta. Está sendo avaliada a participação de 22 bandas. Haverá oficinas musicais e mostras de arte.
No ano passado, o Varadouro reuniu grupos do Acre, Rondônia, São Paulo e Peru, contando com cobertura completa da rádio Aldeia FM. Em 2008, o Varadouro entra em sua quarta edição cada vez mais reconhecido como evento nacional. Está vinculado à Associação Brasileira de Festivais Independentes e é integrante do Circuito Fora do Eixo.

sábado, 23 de agosto de 2008

BINHO AFIRMA QUE BR 364 VAI ABRIR CAMINHOS AO DESENVOLVIMENTO DO ACRE


Durante dois dias - quinta e sexta-feira -, o governador Binho Marques percorreu a BR-364 desde Rio Branco até Cruzeiro do Sul, numa viagem oficial de inspeção às obras de asfaltamento do trecho entre Sena Madureira e Feijó, onde seis empresas e mais de 1,7 mil homens e mulheres trabalham para asfaltar, até 2010, os 224 quilômetros que restam para ligar a capital acreana ao Vale do Juruá.
"Só quem vive aqui sabe a necessidade desta obra.

A BR-364 é para abrir caminhos para o desenvolvimento do Acre", disse Marques. O governador esteve acompanhado dos deputados Edvaldo Magalhães, presidente da Assembléia Legislativa do Acre; Moisés Diniz, líder do Governo na Aleac; Thaumaturgo Lima, líder do PT na Aleac; e Walter Prado (PSB), além dos secretários Carlos Alberto, da Articulação Institucional; Aníbal Diniz, do Gabinete de Governo; Gilberto Siqueira, do Planejamento: e Marcos Alexandre, diretor do Deracre. "O acompanhamento das obras deve ser constante para que o trabalho saia como o planejado e em 2010 a BR-364 esteja pronta", completou Marques. "Estamos todos com a mesma preocupação: concluir a rodovia com qualidade no prazo estabelecido."

De acordo com o deputado Moisés Diniz, o Acre realiza uma grande obra e mantém toda a frente de serviços públicos sem que um ou outro setor sofra solução de continuidade. "O trabalho do Governo é em todas as áreas, e, mesmo estando realizando uma obra desse porte e com tal complexidade, o Estado está fazendo um grande trabalho na saúde, educação, segurança, produção rural e muito mais", disse o deputado.

Para Walter Prado, o Governo acerta em priorizar o direcionamento do asfaltamento, que vai do interior em direção a Rio Branco, o que fortalece a região de Tarauacá e Envira, assim como ocorreu com Cruzeiro do Sul. Thaumaturgo Lima se disse satisfeito com o desenvolvimento das obras e afirmou que, mantido o ritmo, o povo do Juruá logo sairá definitivamente do isolamento. "O governo está de parabéns por ter conseguido o apoio necessário a esta obra", disse. "Estamos vendo a construção de algo histórico para a integração do Acre, que é o asfaltamento desta rodovia", completou o presidente da Aleac, Edvaldo Magalhães.
________________________________________
Redação
redacao@folhadoacre.com
Fonte: Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Assaltante trapalhão fica preso de cabeça para baixo em janela

Ladrão fica preso ao tentar assaltar casa, e só consegue sair com a ajuda da polícia. (Foto: Reprodução/Daily Mail)


Bandido quebrou vidro e tentou invadir casa, mas ficou preso pelo cadarço do tênis.
'Deve ser o ladrão mais burro do mundo', brincou dono de residência.
Depois do trabalho, o britânico Paul Ives voltou para casa e, logo na entrada, encontrou a cena estranha: um homem gritando por socorro, pendurado de cabeça para baixo na janela da frente de sua residência.

O assaltante, de 32 anos, ficou preso pelo cadarço do tênis depois de quebrar a janela para invadir a casa, em Dartford. "Deve ser o ladrão mais burro do mundo", brincou Ives.

Para a Justiça, o ladrão John Pearce admitiu que seu objetivo era roubar a casa de Ives. Mas, quando foi pego em flagrante, ele tentou convencer o morador a não chamar a polícia.

"Ele disse que tinha visto um suposto ladrão, e tentou entrar para evitar que minha casa fosse roubada", conta Ives.

O dono da casa chamou a polícia, que conseguiu livrar o bandido trapalhão da janela. Pearce, no entanto, não deve escapar da prisão.

Crime monstruoso

Criança, cega, surda, muda e deficiente física é estuprada.
Padrasto é o principal suspeito do crime.Orlando nega crime e afirma que foram as tias que estupraram a criança para prejudicá-lo.



Qua, 21 ago 2008

Khaled Cavalcante
Fotos: Gleyciano Rodrigues

Uma criança do sexo feminino de dez anos de idade, que é cega, surda, muda e deficiente física, foi barbaramente estuprada na noite de terça-feira, 19, dentro da residência onde mora com a mãe, um irmão de quatro anos e o padrasto na Vila do "V", Projeto Humaitá, município de Porto Acre.

Segundo a polícia o principal suspeito de ter cometido o crime é padrasto da criança o trabalhador braçal, Orlando Sabóia de Lima, 29, que foi preso na noite de quinta-feira, 21.

Criança vítima de estupro está internada na Maternidade em Rio Branco.

Na manhã de quarta-feira, 20, policiais do Posto de policiamento da Vila do "V" receberam a denúncia do estupro cometido contra a criança.

Imediatamente o chefe de equipe Policial Civil, Benício Araújo, foi ao local do crime, onde encontrou a criança sangrando muito.

Sem perder tempo o policial enviou a criança ao Instituto Médico Legal, para ser submetida a exame de conjunção carnal.

O médico legisla ao examinar a criança determinou a internação imediata da menina em uma Maternidade da cidade, dada gravidade das lesões causadas pelo estupro.

Segundo informações de familiares da criança, na unidade de saúde para onde foi transferida, os médicos submeteram a criança a uma cirurgia na tentativa de restituir o órgão sexual que teria sido muito lesionado no ato monstruoso cometido contra a mesma.

Padrasto é preso sob suspeita de ter cometido o crime

Segundo a policia apurou a mãe da criança está em Rio Branco, para onde veio dá a luz ao segundo filho do casal e deixou a filha mais velha que é deficiente física, surda, muda e cega e um filho de quatro anos sob os cuidados das tias (irmãs da mãe das crianças).

O trabalhador braçal Orlando Sabóia, estava em uma propriedade rural, localizada no Projeto Tocantins. No final da tarde de terça-feira, 19, ele retornou para casa e encontrou a enteada e o filho na companhia de duas cunhadas.

Ele teria mando as cunhadas irem para casa, alegando que cuidaria das crianças, já que estava em casa não havia necessidade das tias permanecerem.

Ocorre que Orlando Sabóia já chegou embriagado e continuou consumindo bebida alcoólica.

Um vizinho de Orlando contou a polícia que já era tarde da noite quando Orlando aumentou o volume do som, mesmo assim o vizinho ouviu os sons emitidos pela criança que é surda (uma espécie de choro).

Como está impossibilitado de andar (sofreu um acidente), não teve condições de ir à casa de Orlando saber o que estava acontecendo.

Quando na manhã seguinte as tias retornaram encontraram a criança chorando muito e com vários hematomas nas pernas e braços.

Indagado do que havia acontecido com a menina Orlando que ainda se encontrava em visível estado de embriagues deu uma resposta mal criada para as tias e saiu de casa.

Uma tia da menina percebeu que a criança estava sangrando e com hematomas também no órgão sexual.

Enquanto uma tia foi chamar a polícia Orlando aproveitou para fugir. Desde então as policias civis e militares daquela região iniciaram uma caçada implacável contra Orlando que culminou com a prisão do mesmo, na noite de quinta-feira, feita pela polícia civil.

Orlando nega crime e afirma que foram as tias que estupraram a criança para prejudicá-lo.

Após ser preso Orlando Sabóia que continuava embriagado negou o crime e acusou as tias da criança de ter cometido o estupro para incriminá-lo, alegando que as tias da vítima não gostam dele e teriam feito isso para vê-lo preso.

Assim que a população da Vila do "V" tomou conhecimento da prisão de Orlando, dezenas de moradores ficaram na frente do Posto policial ameaçando lincha-lo.

Na manhã desta sexta-feira, 22, o padrasto suspeito será transferido para a Delegacia Especializada de Crimes contra a mulher, onde o caso será entregue a delegada plantonista.

A polícia civil da Vila do "V" já pediu reforço de policias militares da Vila do Incra, a fim de impedir qualquer reação da população.

O abacaxi gigante

(Jornal Página 20)
Ananá garante renda e trabalho na agricultura familiar de Tarauacá
Uma interrogação inquieta estudiosos e curiosos: qual o segredo do “Abacaxi Gigante de Tarauacá”, que insiste só nascer em uma pequena região? A fruta guarda, segundo colonos, cerca de cem anos de história entre a população do Vale do Tarauacá. Há 28 anos começou a ser cultivada em experimentos comerciais - e há 15 tem garantido a sobrevivência de pelo menos quinze famílias da região do Projeto de Assentamento Tarauacá, onde abriga a mancha de solo perfeita para a espécie.
A região que produzia o ananá, como é conhecida a fruta popularmente, concentrava-se no Igarapé Preto, não muito distante do centro da cidade. Ali, o pasto substituiu os cultivos, que se transferiram para o PA Tarauacá.
Quatro vezes campeão do Festival do Abacaxi de Tarauacá por produzir a maior fruta, João Ferreira da Silva, o “João Cobra”, já apareceu em programas nacionais narrando a saga do ananá. Mas ,pouca coisa se sabe. Ao longo dos últimos 28 anos, ele e o grupo de produtores acabaram desenvolvendo práticas que melhoraram a produção e mantiveram o tamanho da fruta. Uma das dicas de produção de um bom ananá é colocar açúcar no “filhote” a ser plantado e potencializar o sombreamento com pés de mandioca.
Nos dois anos que leva para produzir a fruta, as alas devem ser capinadas pelo menos quinze vezes. “É uma cultura melindrosa”, conta o agricultor que assim como vários outros consegue uma renda média de R$ 400 por mês plantando e vendendo a fruta no mercado de Tarauacá. João possui atualmente 4,5 mil pés, sendo que 1,5 mil estão em franca produção.
No total, são cerca de 10 toneladas por produtor ao ano, em média. Levando-se em conta o número de colonos dedicados à cultura, a produção atinge perto de 120 toneladas anuais. Os maiores, que chegam a 18 quilos, são vendidos a preços que variam de R$ 10 a R$ 15.
O plantio vai de setembro a dezembro e a colheita poderá ser feita em 24 meses. Se vai ser abacaxi grande, só a atenção dispensada à cultura dirá. “Tem de estar na plantação todo dia. Toda hora tem que estar vendo alguma coisa”, diz João Cobra. Atualmente, os plantios estão sendo prejudicados por um pequeno pássaro de cor escura, apelidado de Pierre. A ave faz buracos na fruta para comê-la, tornando-a inadequada para o comércio.
Com a melhoria dos ramais e o asfaltamento da BR 364, muita coisa melhorou para os produtores do PA Tarauacá, especialmente quanto à questão do transporte.
Um bom abacaxi pode produzir doze litros de suco. “O segredo do Abacaxi Gigante é dar o trato certo e cuidar”, diz João Cobra. Em outras palavras: “trabalho, trabalho e muito trabalho”, resume.
(Agência de Notícias do Acre)

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Proposta do governo deve endurecer contra 'ficha suja'


O governo vai enviar ao Congresso proposta de reforma política que torna mais rígidas as regras para barrar o lançamento de candidatos com "ficha suja". A idéia, que entra em confronto com recente decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), abre caminho para que candidatos condenados tornem-se inelegíveis, mesmo que a sentença não tenha sido julgada em última instância. Não é só: pela cláusula de barreira em discussão no Planalto, partidos que não elegerem 10 deputados federais ficarão tão desidratados que praticamente deixarão de existir, pois perderão direito ao fundo partidário e ao tempo de TV na propaganda política.

Se a cláusula sugerida pelo governo estivesse em vigor hoje, partidos como o PSOL da ex-senadora Heloísa Helena - com três deputados federais - não poderiam indicar líder nem ter espaço em comissões parlamentares. Também nesse ponto a proposta contraria decisão do STF. Motivo: em 2006, os maiores partidos aprovaram norma pela qual as legendas que não atingissem 5% dos votos no País e pelo menos 2% em 9 Estados ficariam impedidas de funcionar no Congresso, mas os nanicos recorreram ao STF e conseguiram derrubar a cláusula, considerada inconstitucional.

Com a intenção de mexer novamente nesse vespeiro, a versão preliminar da requentada reforma política foi apresentada ontem ao presidente Lula pelos ministros da Justiça, Tarso Genro, e das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro. A proposta será levada nesta semana ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e pode ser modificada até chegar ao plenário. Na tentativa de facilitar a votação, o governo pretende encaminhar o projeto "fatiado", em seis tópicos, depois das eleições. Os pontos sugeridos pelo Planalto são financiamento público de campanha, voto em lista fechada, fidelidade partidária, fim da coligação proporcional, inelegibilidade e cláusula de barreira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ACRE TEM A SEGUNDA MAIOR MÉDIA SALARIAL DE TODO PAÍS


20/08/2008 : 01:10
O Acre teve uma alta de 37,08% no salário médio, nos últimos cinco anos, ficando na segunda colocação no ranking de Estados que mais elevaram os rendimentos dos trabalhadores. O Maranhão ficou com o primeiro lugar, registrando uma elevação de 38,71%.

A pesquisa que foi realizada por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) demonstrou que o valor pago ao acreano chegou a R$ 590,32 no primeiro trimestre de 2008.

O estudo divulgado pelo ministro Carlos Lupi em uma entrevista coletiva em São Paulo mostrou também que os homens (R$ 594,65) continuam ganhando mais que as mulheres (R$ 578,56). A diferença nacional na remuneração paga para ambos os sexos chega a 11,43%. Em 2003, as trabalhadoras recebiam 8,11% a menos que os funcionários masculinos.

O Amazonas (12,87%) e o Distrito Federal (13,10%) foram às unidades federativas com os menores índices. Mesmo com resultados desiguais, os técnicos do governo federal acreditam que as diferenças salariais regionais estão sendo diminuídas com o crescimento generalizado da economia brasileira.

De 2003 a 2008, o Brasil teve uma elevação na remuneração inicial de 22,36%, tendo um valor médio de R$ 696,10.

Para o ministro, a elevação do salário médio significa que a falta de qualificação profissional em vários pontos do país pode ter contribuído para a valorização profissional.

Carlos Lupi afirmou que é a primeira vez que a pesquisa sobre a média salarial é realizada. (Freud Antunes)
________________________________________
Redação
redacao@folhadoacre.com
Fonte: A Tribuna

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Bebê 'volta à vida' após passar 5 horas em refrigerador de hospital


Uma bebê israelense que havia sido considerada morta pelos médicos "voltou à vida" nesta segunda-feira (18), depois de passar horas dentro de um refrigerador de um hospital em Jerusalém.

A menina, que nasceu pesando apenas 600 gramas, passou pelo menos cinco horas em um dos compartimentos refrigerados do hospital depois de ter sido dada como morta. Quando foi retirada para que fosse enterrada, seus pais começaram a notar alguns movimentos.

"Nós a desembrulhamos e sentimos que ela estava se mexendo. Nós não acreditamos no começo. Então ela começou a segurar a mão da minha mãe, e então vimos ela abrir a boca", disse Faiza Magdoub, de 26 anos, mãe do bebê.

O bebê havia sido considerado morto algumas horas antes, depois que médicos do hospital Western Galilee, norte de Israel, foram obrigados a abortar a gravidez para conter uma hemorragia interna na mãe. Magdoub estava na vigésima terceira semana de gravidez.

"Não sabemos como explicar isso, então quando não sabemos como explicar as coisas na medicina, chamamos de milagre, e isso é provavelmente o que aconteceu", disse o vice-diretor do hospital, Moshe Daniel.

O bebê foi então levado à unidade de tratamento intensivo neonatal do hospital, mas os médicos não tinham certeza de quanto tempo ela irá sobreviver.

Motti Ravid, um professor de medicina interna, disse ao canal 10 de Israel que a baixa temperatura dentro do refrigerador diminuiu o metabolismo do bebê e provavelmente ajudou-a a sobreviver. (Reuters)

Lula sanciona projeto que obriga ensino de música nas escolas


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta segunda-feira (18) um projeto que torna obrigatório o ensino de música nos ensinos fundamental e médio. Lula vetou um artigo que obrigava qualificação específica para os professores.

A obrigatoriedade do ensino foi aprovada pela Câmara no final de junho. Os conceitos musicais serão ensinados nas aulas de artes. A proposta é de autoria da senadora Roseana Sarney (PMDB-MA).

De acordo com o projeto, as escolas têm prazo de três anos para se adaptarem e passar a ofertar o conteúdo dentro da disciplina de artes. (G1)

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Mais-valia

APRENDA UM POUQUINHO,
A EXPLORAÇÃO CAPITALISTA TEM UMA EXPLICAÇÃO MARXISTA


Mais-valia é o nome dado por Karl Marx à diferença entre o valor produzido pelo trabalho e o salário pago ao trabalhador, que seria a base da exploração no sistema capitalista.
A Mais-Valia em Marx e na Escola Clássica Inglesa
Ao analisar a gênese do lucro capitalista, Marx toma como ponto de partida as categorias da Escola Clássica Inglesa: já Adam Smith havia observado que o trabalho incorporado em uma mercadoria (o seu custo de produção em termos de salários), era inferior ao "trabalho comandado" (aquilo que a mercadoria podia, uma vez vendida, "comprar" em termos de horas de trabalho). Para Smith, esta discrepância é que explicava a existência do lucro, mas não suas causas. Smith considerava que o lucro estava associado à propriedade privada do Capital, na medida em que a renda de um empresário dependia menos do seu trabalho como gerente do que do volume dos seus investimentos, mas tal não explicava a existência do lucro como um overhead sobre os custos de produção em termos de salários.
Para David Ricardo tal se dava devido ao fato de o salário gravitar sempre em torno dos seus níveis "naturais" - isto é, de um mínimo de subsistência fisiológica, Caso, em função de uma escassez de mão-de-obra, o salário subisse além do nível natural, os operários se reproduziriam de tal forma que a oferta excessiva de trabalho deprimiria de novo os salários ao mesmo nível natural. Para Ricardo, o lucro acabava sendo simplesmente um "resíduo" - aquilo que sobrava como renda do empresário depois de pagos os salários de subsistência e as rendas da terra; como a teoria da renda da terra ricardiana propunha que a ocupação de terras sempre piores inflava os custos de reprodução da mão de obra, haveria uma tendência aos lucros serem comprimidos no longo prazo.
Marx adotou tal teoria ricardiana nas suas obras de juventude, como o Manifesto Comunista; mais tarde, no entanto, verificou que os valores dos salários, variando de uma sociedade a outra, não se reduziam ao elemento biológico, mas pelo contrário incorporavam elementos sociais e culturais ("como poderia um operário francês subsistir sem seu vinho?" diz ele em O Capital). Ele também reparou que o lucro dependia, pelo menos em parte, da produtividade física do capital, o que fêz com que buscasse sair das constatações simples de seus predecessores para elaborar uma teoria mais aprofundada das causas efetivamente sociais do lucro capitalista.
É importante lembrar que, segundo o Marx maduro, o valor do trabalho não é uma grandeza concreta: o operário não vende sua "força" (caso contrário um operário fisiculturista deveria ser mais bem remunerado que um outro de físico normal que realizasse o mesmo trabalho) ou sua "habilidade". Pelo contrário, o progresso da mecanização garante um padrão uniforme de produtividade física dentro de cada ramo de atividade e para cada tipo de ocupação, igualando, até certo ponto, a habilidosos e obtusos. Como coloca Marx, se o valor em trabalho (e, portanto, o valor do salário como parcela do valor da mercadoria)correspondesse ao tempo concreto gasto na produção de cada mercadoria individual, seriam os trabalhadores menos habilidosos que produziriam as mercadorias mais valiosas, pois demorariam mais tempo para produzí-las.
O valor do trabalho é abstrato, no sentido em que o valor padrão de um salário para uma determinada atividade (e para uma determinada duração da jornada de trabalho) é dado pelo Mercado, isto é, pela demanda agregada dos capitalistas. Para Marx, em princípio o salário capitalista é "justo": o capitalista não necessita espoliar seus operários do seu salário de mercado para lucrar; o lucro tem uma causa concreta: ele tem por causa a propriedade privada do Capital; mas supor que ele seja uma remuneração automática deste mesmo capital, uma vez investido, é, para Marx, "fetichismo", pois supõe que uma coisa possa gerar sua remuneração, que o capital produza lucros e/ou juros como uma laranjeira produz laranjas. Esta origem do lucro não está, na sociedade capitalista, numa espoliação direta, como a apropriação da pessoa do trabalhador escravo, ou a cobrança de uma renda feudal, mas na medida em que o próprio salário "justo" tem seu valor estabelecido de modo a remunerar os trabalhadores por um valor menor do que o valor total das mercadorias por eles produzidas durante a jornada de trabalho contratada; é o que Marx chama de "jornadas de trabalho simultâneas" (uma paga, a outra não).
É certo, como dirá mais tarde a economia neoclássica, que a mais-valia necessitaria ser realizada pela venda lucrativa da mercadoria, e que esta venda dependerá das flutuações da demanda, e que nem sempre o excedente potencial resultante da exploração irá realizar-se aos níveis esperados; como dirá o economista inglês Alfred Marshall o custo de produção e a demanda são duas lâminas de uma mesma "tesoura" entre as quais é determinado o preço da mercadoria. A teoria de Marx, no entanto, preocupa-se menos com o lucro capitalista enquanto tal e mais com a sua gênese social; ele se importa menos com o modo como o lucro é realizado e dividido do que com a maneira como é gerado. O lucro capitalista, para Marx, não é apenas um simples excedente; ele é o excedente como mediado por uma relação social historicamente específica.
Mais Valia absoluta e relativa
Marx chama a atenção para o fato de que os capitalistas, uma vez pago o salário de mercado pelo uso da força de trabalho, podem lançar mão de duas estratégias para ampliar sua taxa de lucro: estender a duração da jornada de trabalho mantendo o salário constante - o que ele chama de mais-valia absoluta; ou ampliar a produtividade física do trabalho pela via da mecanização - o que ele chama de mais-valia relativa. Em fazendo esta distinção, Marx rompe com a idéia ricardiana do lucro como "resíduo" e percebe a possibilidade de os capitalistas ampliarem autonomamente suas taxas de lucro sem dependerem dos custos de simples reprodução física da mão-de-obra.
A Crítica da Escola Austríaca a Marx
O economista austríaco Eugen von Böhm-Bawerk refutou a doutrina da Mais-valia no final do século XIX. Segundo Böhm-Bawerk o valor da produção que não é destinado ao pagamento dos salários existe como consequência da manifestação das preferências temporais dos capitalistas em relação ao processo intertemporal de produção.
Os produtos produzidos pelos trabalhadores só serão bens de consumo em certa quantidade de tempo. E como os salários são pagos antes do término do processo intertemporal de produção, muito do que é considerado lucro pela definição marxista deriva dos juros sobre os bens de consumo futuros (bens de capital). Isso ocorre porque, segundo Boehm-Bawerk, os juros existem devido aos seres humanos sempre preferirem ter um bem no presente do que ter esse mesmo bem no futuro. Os trabalhadores, que recebem os salários antes de que os bens de capital se transformem em bens de consumo, tem sua renda descontada por esse fator.
Outros economistas austríacos desenvolveram, já no início do século XX, a teoria de que os lucros e prejuízos liquídos (resultado do desconto dos juros e os fatores de risco sobre o lucro bruto), são resultado do ajuste incessante dos empresários às mudanças constantes no mercado. E que os lucros liquídos, somente são, em geral, maiores que os prejuízos quando o sistema econômico está em expansão e acumulando bens de capital. Isso ocorre porque um aumento da produção gera um aumento dos faturamentos que geram os lucros. Como os lucros aumentam (e também a produtividade marginal da mão de obra) a demanda por mão de obra aumenta e assim os salários sobem.
Diferentemente dos clássicos, para os austriacos os lucros liquídos sempre tendem a desaparecer ao longo do tempo porque os preços dos fatores de produção sobem com a aumento da demanda pelos mesmos que é justamente causada pelos lucros.

Marxismo e Economia Neoclássica; o estatuto conceitual do Juro
Segundo os marxistas existe um problema, no entanto, nas críticas neoclássicas, que é o fato de, nesta escola, o juro ser tido como a remuneração natural do Capital monetário, a qual é gerada pelo seu uso produtivo; daí, na crítica de Böhm Baverck, os trabalhadores, ao abrirem mão de pouparem seu salário, consentirem implicitamente no lucro capitalista. Para Marx, esta noção de que o juro seja uma remuneração "natural" do Capital é uma característica daquilo que ele chama, nas suas Teorias de Mais-Valia, "economia vulgar": o juro não é uma categoria natural, e sim social; para Marx, os trabalhadores não podem "escolher" gastar seus salários "mais tarde" (o que já era proposto, com o nome de "teoria da abstinência" por um pós-ricardiano, Nassau Senior, que Marx critica no O Capital), pela simples razão de que necessitam deles para sobreviver materialmente; o lucro, por sua vez, depende de processos de produção concretos para existir: se eu coloco um capital de longo prazo para render juros com um prazo de carência de 15 anos, e neste interim o negócio em que investi falir, ficarei tão inadimplente quanto ficaria se fosse menos "abstinente".
Para Marx, o juro é apenas e tão sómente uma forma pela qual a Mais Valia Social Geral- a soma das várias mais-valias particulares - circula ao nível microeconômico e é redistribuída entre os vários capitalistas - fundamentalmente, daqueles que realizam a produção industrial para os portadores do Capital Financeiro. Ao analisar o Juro como uma variável autônoma, Marx de certa forma antecipa a teoria monetária de Keynes, que considerava que a igualdade entre poupança e investimento, longe de representar um equilíbrio entre oferta e procura de capitais, seria uma simples identidade contábil.
Existe aí, portanto,entre o Marxismo e a Economia Neoclássica, um gap conceitual não facilmente resolvível - especialmente quando se trata de autores da Escola Austríaca, que, seguindo os princípios estritos do fundadores da escola neoclássica, o inglês Stanley Jevons e o alemão naturalizado austriaco Menger, tentam explicar todos os fenômenos econômicos com base na idéia de utilidade marginal e não dão nenhum papel a quantidade de mão de obra na determinação do valor, contrariamente à Escola neoclássica inglesa de Alfred Marshall , que, como já dito, busca uma síntese entre a Economia Clássica Inglesa (ou Escola Ricardiana), e o Neoclassicismo Jevoniano.
Marx, Karl: O Capital, Crítica da Economia Política. Livro I, várias edições (Civilização Brasileira/Bertrand Brasil e Abril Cultural); Teorias de Mais-Valia, ed. Civilização Brasileira/Bertrand Brasil.
Rosdolsky, Roman: Gênese e Estrutura do Capital de Marx. Editora Contraponto/UERJ.
Crítica original de Böhm-Baverck a Marx
Retirado de "http://pt.wikipedia.org/wiki/Mais-valia"
Categorias: Marxismo | História do pensamento econômico

terça-feira, 12 de agosto de 2008

CNTE: lei do piso, a desfaçatez dos gestores públicos


A Lei do Piso Salarial, aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Lula, é resultado de amplo debate democrático envolvendo a sociedade e principalmente os gestores das três esferas de governo com o Parlamento e entidades como a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação). Agora, no entanto, depois de enfrentar 14 meses de discussão, alguns governadores e secretários de educação do país resolvem abrir fogo contra o Piso Salarial Profissional Nacional

Esse ataque vem, principalmente, por meio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). Justamente as entidades que desde o início sentaram-se à mesa e participaram das negociações para a elaboração do projeto de lei enviado pelo Ministério da Educação (MEC) ao Congresso Nacional.

No próprio Parlamento, tiveram a oportunidade de interferir com suas contribuições, e, sem dúvida, muitas dessas foram derrotadas no processo legislativo. Contudo, o PSPN foi aprovado com ampla maioria dos votos de todos os partidos representados no Congresso.

Diante de toda a legitimidade do Piso, por que, agora, as mencionadas entidades levantam-se contra o texto aprovado pelo Parlamento? O que está por trás disso?

Ao tentar desconstituir a Lei do Piso - um verdadeiro avanço para o Brasil - essas autoridades mostram claramente a falta de compromisso com o país e com o povo brasileiro, que merece (sim!) uma educação com mais qualidade e compromisso.

A falta de unidade às políticas educacionais sempre foi um empecilho à melhoria do ensino básico. Ademais, a educação sempre ficou relegada a segundo plano pelos gestores estaduais e municipais, expondo com profundidade a luta de classes no país.

Agora, quando o Brasil assiste ao início de um processo de valorização do professor e, conseqüentemente, da educação pública - a base de uma sociedade desenvolvida - o Consed e a Undime tratam o tema como um problema meramente fiscal. Essa visão, sim, é problemática, pois renuncia à oportunidade de darmos uma guinada na qualidade da educação pública.

A hora-atividade, destinada ao trabalho extra sala de aula, e que tem sido veementemente rebatida pelas entidades citadas, nada mais é do que o momento que o educador tem para pensar, estudar e preparar um ensino melhor.

Além do caráter pedagógico, a hora-atividade abrange a saúde do professor, que tem ampliado sua jornada de trabalho madrugada adentro e sem remuneração. Mas, pelo visto, não é de interesse das autoridades ter em sala de aula educadores saudáveis.

Talvez seja o caso de lembrar que a educação é a área de responsabilidade do estado que recebe os piores salários. Disso, as autoridades deveriam se envergonhar, ao invés de se rebelar contra uma Lei que garante um mínimo de dignidade à atividade que tem como base a formação de cidadãos e de uma sociedade mais consciente e valorizada.

Quanto ao possível aumento do número de profissionais decorrente da aplicação da hora-atividade, a questão é bastante discutível. O próprio governo federal concorda que o aumento nas proporções anunciadas pelo Consed é controverso.

A categoria, portanto, irá se mobilizar para garantir o cumprimento da Lei do Piso e sempre que possível fazer com que as autoridades se recordem da injustiça que os profissionais da educação têm sofrido ao longo dos anos com as diferenças salariais constrangedoras em todo o país. É preciso um pouco mais de consciência e comprometimento com uma educação pública de qualidade no Brasil.

Fonte: CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação)

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Meu amigo, o rádio

Nos 65 anos da Rádio Difusora Acreana as vedetes são o aparelho que difunde a identidade acreana e seus personagens de todas as eras
No aniversário de 65 anos da Rádio Difusora Acreana a vedete é com certeza o rádio, o aparelho que faz chegar às mais remotas localidades a música e a notícia tão necessários ao lazer e informação das comunidades que não têm acesso à outra mídia, senão à sintonia das ondas curtas, médias, tropicais ou de freqüência modulada.
No Acre, o rádio tem importância estratégica e a relação do homem com seu aparelho beira à filosofia: "o rádio é meu amigo é um companheiro", disse o vigia Francisco Elias Saturnino, que usa um fone de ouvido para escutar "o tempo todo" música e notícias – mais notícia que música, lembra ele, que trabalha na Hospedaria Flutuante de Rodrigues Alves, espaço público que abriga ribeirinhos em trânsito pela cidade. Saturnino tem 52 anos, a maioria dos quais, lembra ele, ouvindo rádio no interior do Vale do Juruá. Saturnino é ouvinte freqüente da RDA e gosta do programa de recados.
Nesse contexto, a RDA ajuda formar a identidade acreana. Saturnino fez questão de encomendar um aparelho novinho em folha da Zona Franca de Cobija, na Bolívia, levado a Rodrigues Alves por um amigo. "Paguei R$60. É muito bom", diz ele, que anda com o rádio a tiracolo.
Mas não são apenas as pessoas de maior idade que estabeleceram um tratamento diferenciado ao aparelho de rádio. O jovem Sebastião Costa de Souza, de apenas 19 anos, tem tanto carinho pelo rádio que o mantém na caixa original. Apenas os botões e a antena estão de fora. "Fica aqui dentro para conservar", disse, ao lado do aparelho que, não por acaso, também considera "companheiro" –palavra que, aliás, serve de nome para o modelo de uma marca conhecida.
Apenas quem anda no interior, nos locais mais longínquos do Estado é que pode avaliar a importância do rádio na rotina de quem vive na floresta, nas fazendas, colocações –daí a importância de um emissora moderna e sintonizada com o povo do Acre como "A Voz das Selvas", como é conhecida a RDA. A história do rádio começou em 1863 quando, em Cambridgem na Inglaterra, James Clerck Maxwell demonstrou teoricamente a provável existência das ondas eletromagnéticas. James era professor de física experimental e apartir desta revelação outros pesquisadores se interessaram pelo assunto. O alemão Henrich Rudolph Hertz (1857-1894) foi um deles. De acordo com o site www.microfone.jor.br, o princípio da propagação radiofônica veio mesmo em 1887, através de Hertz. Ele fez saltar faíscas através do ar que separavam duas bolas de cobre. Por causa disso os antigos "quilociclos" passaram a ser chamados de "ondas hertzianas" ou "quilohertz". A industrialização de equipamentos se deu com a criação da primeira companhia de rádio, fundada em Londres - Inglaterra pelo cientista italiano Guglielmo Marconi. Em 1896 Marconi já havia demonstrado o funcionamento de seus aparelhos de emissão e recepção de sinais na própria Inglaterra, quando percebeu a importância comercial da telegrafia. Até então o rádio era exclusivamente "telegrafia sem fio", algo já bastante útil e inovador para a época, tanto que outros cientistas e professores se dedicaram a melhorar seu funcionamento como tal. Oliver Lodge (Inglaterra) e Ernest Branly (França), por exemplo, inventaram o "coesor", um dispositivo que melhorava a detecção.
Daí em diante, o aparelho só evoluiu. E acabou aparecendo na vida de pessoas como o comerciante Garcia Costa Braga, que também usa a declaração "ouço rádio a vida toda" para definir o tempo em que tem contato com o aparelho.
Ou a viúva Antônia Katukina, moradora da Aldeia Bananeira da Terra Indígena Campinas/Katukina. "Gosto de ouvir música", diz. "E o jornal também", completa, sorrindo ao alto de seus 77 anos de vida.

Edmilson Ferreira (Agência de Notícias do Acre)